"Se nos convencemos de que a reforma protestante foi a maior recuperação do evangelho desde o tempo dos apóstolos e de que ela nos deixou com um tesouro no qual há riquezas para serem redescobertas por uma nova geração, então certamente uma nova reforma representará um alvo para nós. Não que queiramos simplesmente fazer uma reprise da Reforma, mas queremos recuperar e confessar a fé como os reformadores fizeram na sua época. É a mesma mensagem, mas agora somos nós que precisamos entrar em campo (...) Com esse propósito, afirmamos os solas da Reforma: 'Somente a Escritura', 'Somente Cristo', 'Somente a Fé', 'Somente a Graça' e 'Glória somente a Deus'".

(HORTON, Michael, in: Reforma Hoje, Ed.Cultura Cristã, São Paulo, 1999, cap.5, p. 101).


Reforma Radical

Sobre o Ensino Referente ao Casamento - Thomas Miersma
Jesus disse: "Assim, eles já não são dois, mas sim uma só carne. Portanto, o que Deus uniu, ninguém separe" (Mateus 19:6).

Por meio das suas palavras, Jesus expõe a doutrina fundamental da fé cristã referente ao casamento e também à sexualidade humana. Suas palavras foram uma resposta aos líderes das comunidades e às suas dúvidas quanto ao divórcio, "É permitido ao homem divorciar-se de sua mulher por qualquer motivo?" (Mateus 19:3). Estes pretendiam ensinar que o divórcio por qualquer motivo era aceitável. Jesus, no entanto, em resposta dirigiu-lhes ao primeiro livro da Bíblia, Gênesis 1:27, e disse "Vocês não leram que, no princípio, o Criador ‘os fez homem e mulher’?" (Mateus 19:4). Deus fez os sexos. Deus fez homem e mulher. Deus fez o casamento. Ao determinar a natureza da sexualidade humana no início, Ele ordenou que um homem deveria desejar e ser fiel à sua esposa, e sua esposa ao seu marido.

Portanto, Jesus direcionou os líderes a Gênesis 2:24, onde Deus havia dito, "Por essa razão, o homem deixará pai e mãe e se unirá à sua mulher, e os dois se tornarão uma só carne" (Mateus 19:5). Uma vez que Deus é que fez o casamento, ele é Sua instituição, não do homem. Ele fez o homem habitar com a mulher. Deus realizou o primeiro casamento, e ainda hoje, é Deus que une marido e esposa no casamento.

A partir dessa verdade Jesus extrai uma conclusão. Em harmonia com Gênesis 2:23, Ele diz, "Assim, eles já não são dois, mas sim uma só carne. Portanto, o que Deus uniu, ninguém separe" (Mateus 19:6). Casamento é uma união que liga um homem e sua esposa juntos num laço de vida e comunhão em todo e qualquer aspecto de suas vidas tal que eles deixam de ser dois e tornam-se uma só carne. Deus os uniu. Deus somente tem o direito e a autoridade para separá-los. Deus faz isso pela morte. O pecado do homem tem corrompido o casamento e a sexualidade humana. Deus ordenou a união pelo casamento legal entre um homem e uma mulher. Toda atividade sexual humana fora dessa união divinamente ordenada é pecaminosa, uma corrupção depravada de uma dádiva boa de Deus.

Porque o homem separar essa união numa só carne é a obra destrutiva do pecado, que é a razão porque Jesus adicionou, "O que Deus uniu, ninguém separe" (Mateus 19:6), é que Jesus ensina que o casamento é um laço permanente e inquebrável aos olhos de Deus. O homem não tem autoridade procedente de Deus para manipular o casamento pelo divórcio ilegal. Nem são as palavras de Jesus restritas a um certo tipo de casamento, um que reconheça Deus de uma certa forma, como no casamento celebrado numa igreja. Quando Ele fala acerca do casamento e do divórcio, diz "quem" ["qualquer que," N.T.]. Casamento, como um vínculo inquebrável, está enraizado na criação de Deus, tanto no casamento de crentes como de incrédulos, tanto se realizado na igreja como se realizado por meio de uma autoridade civil.

Jesus diz acerca do divórcio e recasamento, "Qualquer que se divorciar de sua mulher e se casar com outra mulher estará cometendo adultério, e o homem que se casar com uma mulher divorciada estará cometendo adultério" (Lucas 16:18). Aos olhos de Jesus o divórcio não finda a relação de casamento original. Portanto Ele se refere ao recasamento após o divórcio pelas palavras "cometendo adultério." Jesus ensina que o casamento é um laço vitalício permanente, a exemplo do que fizeram os apóstolos em obediência a Cristo (Romanos 7:1-3).

É dessa forma que você vê o seu casamento? Você crê nesse Jesus que chama homens à obediência da vontade de Deus no casamento? O seu casamento demonstra isso? "O casamento deve ser honrado por todos; o leito conjugal, conservado puro; pois Deus julgará os imorais e os adúlteros" (Hebreus 13:4).

________________________________________________
Fonte: What Jesus said about, By Rev. Thomas Miersma, cap. 29.
http://www.reformedspokane.org/Doctrine_pages/Jesus%20Said/Jesus_Said_Articles/Jesus_Said29.html
Tradução: Marcelo Herberts
Covenant Protestant Reformed Church (CPRC)
http://www.cprf.co.uk
Reforma Radical

Nenhuma Nova Revelação! - João Calvino
"Em quem [Cristo] 'estão escondidos todos os tesouros da sabedoria e da ciência' (Col. 2:3) com tamanha abundância e riqueza que quer esperar por ou buscar qualquer nova adição a estes tesouros é verdadeiramente levantar a ira de Deus e provoca-Lo contra nós. É para nós esfomear por, buscar, olhar para, aprender e estudar Cristo somente, até chegar aquele grande dia quando o Senhor irá completamente manifestar a glória do seu Reino (cf. I Cor. 15:24) e irá mostrar-se a si mesmo para nós o vermos como Ele é (I João 3:2). E por esta razão esta nossa era é designada nas Escrituras de 'a última hora' (I João 2:18), os 'últimos dias' (Heb. 1:1), os 'últimos tempos' (I Pedro 1:20), que ninguém se iluda a si próprio com uma vã expectação de uma nova doutrina ou revelação. 'Havendo Deus antigamente falado muitas vezes e de muitas maneiras aos pais, pelos profetas, a nós, falou-nos, nestes últimos dias, pelo Filho' (Heb. 1:1-2), quem somente pode revelar o Pai (Lucas 10:22); e Ele tem de facto manifestado o Pai plenamente, tanto quanto nós pedirmos, enquanto nós agora vemo-lo num espelho (I Cor. 13:12)" (Institutes 4.18.20).

"Isto, entretanto, permanece certo: a perfeita doutrina que Ele trouxe tornou-se num fim a todas as profecias. Todos aqueles, então, que não contentes com o evangelho, remendam-no com algo estranho, excluída da autoridade de Cristo. A voz que trovejou do céu, 'Este é o meu Filho amado; ... ouçam-no' (Mat. 17:5; cf. Mat. 3:17), exaltou-o por um privilégio singular além do alcance de todos os outros. Então esta unção foi difundida da Cabeça para os membros, como Joel havia predito: 'vossos filhos profetizarão e vossas filhas ... terão visões,' etc. (Joel 2:28). Mas quando Paulo diz que Ele foi-nos dado a nós como nossa sabedoria (I Cor. 1:30), e noutro lugar, 'Nele estão escondidos todos os tesouros da sabedoria e da ciência' (Col. 2:3), ele tem algo ligeiramente diferente em mente. Isso é, fora de Cristo, não há nada que valha conhecer, e todos os que pela fé percebem como Ele é têm alcançado toda a imensidão dos benefícios celestiais. Por esta razão, Paulo escreve numa outra passagem: 'nada precioso me propus saber, entre vós, senão a Jesus Cristo, e este crucificado' (I Cor. 2:2). Isto é muito verdade, porque não é permitido ir além da simplicidade do evangelho e a dignidade profética em Cristo conduz-nos a conhecer que na soma da doutrina como no-la tem dado a nós estão contidas todas as partes da perfeita sabedoria" (Institutes 2.15.2).

"E quando ele fala de os últimos tempos, Ele intima que não há mais nenhuma razão para esperar nova revelação; porque não foi uma palavra em parte que Cristo trouxe, mas a conclusão final. É neste sentido que os Apóstolos tomam 'os últimos tempos' e 'os últimos dias.' E Paulo quer dizer o mesmo quando diz, 'para quem já são chegados os fins dos séculos' (I Cor. 10:11). Se Deus então falou pela última vez, é certo avançar até aqui; como também quando tu vens a Cristo, tu não deves ir além: e estas duas coisas são muito necessárias para nós sabermos. Porque foi um grande obstáculo para os judeus que eles não consideravam que Deus tinha reservado uma revelação mais completa para outro tempo; assim, estando satisfeitos com a sua própria Lei, eles não avançavam para o alvo. Mas desde que Cristo apareceu, um mal oposto começou a prevalecer no mundo; porque os homens desejaram avançar além de Cristo. Que mais é todo o sistema do papado, mas o ultrapassar dos limites que o apóstolo fixou? Assim pois, o Espírito de Deus nesta passagem convida todos a vir tão só a Cristo, e então os proíbe de irem além no tempo que resta que ele menciona. Em suma, o limite da nossa sabedoria é dita aqui ser o Evangelho" (Coment. em Heb. 1:1).

_______________________________________
FONTE: Covenant Protestant Reformed Church (CPRC)
http://www.cprf.co.uk
Reforma Radical

Formulário de Contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Somente a Escritura - Somente Cristo - Somenta a Graça - Somente a Fé - Glória Somente a Deus!!